Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O REGRESSO II

por João Brito, em 02.10.21

o regresso2.jpg

Após quarenta anos longe da pátria, uma madrasta que o obrigara a sair da sua "zona de conforto e emigrar", ei-lo regressado à terra e à casa onde nascera; naturalmente expectante e com um enorme aperto no coração; sobretudo uma vontade desmedida de abraçar a família.

O homem morria de saudades; é compreensível. Ademais, ele pertencia ao rol daqueles milhares de portugueses que, desde há muitas gerações, se vão dispersando, um pouco, pelos quatro cantos do mundo; a eterna diáspora...
Havendo ajuntado um pé-de-meia suficiente para poder gozar a sua reformazinha junto das pessoas que mais amava, mais a mais, tendo ficado ausente delas uma eternidade, percebia-se perfeitamente o seu estado de ansiedade. Se fizermos bem as contas, chegaremos, quase todos, à proposição final de que quarenta anos não são quarenta dias, n'é verdade?
No entanto, para sua grande desolação, a mulher havia partido há vinte e quatro anos para a Alemanha, cansada de esperar e desesperar por ele durante dezasseis anos.
A filha, que tinha completado quatro anos quando ele abalou, saíra de casa há oito anos, depois que atingiu a maioridade e emigrara para a Suíça, trinta e dois anos após ele partir e oito anos depois da saída da mãe.
O filho, actualmente com cinquenta e dois anos, tinha vinte e oito anos quando a mãe perdeu a esperança de rever o pai e abandonou o lar, dezasseis anos depois dele, e não assistiu à partida da irmã, pois aos trinta e dois anos, quando ela completara vinte e quatro anos, ele partira para o Luxemburgo, vinte anos antes do regresso do pai.
Porém, desistiu de os procurar porque foi sempre uma nódoa a matemática.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O REGRESSO

por João Brito, em 28.09.21

o regresso4.jpeg

- «Passas o dia agarrado à porcaria do telemóvel; faltas às aulas; não levas o cão à rua; não pegas num livro e não arrumas o teu quarto! - bradava-lhe a mãe, desesperada - Garanto-te que não vais continuar na boa-vai-ela, foi a gota d'água! Quando o teu pai chegar a casa, vais entender-te com ele, ouviste?»

O pai chegou, zangadíssimo com a puta da vida e com o trabalho duro mal remunerado: uma merda de salário que quase não dava para o tabaco. Pior do que isso, e por consequência, eram as idas cada vez menos frequentes, ao estádio do seu "glorioso"; isso é que o magoava sobremaneira.
Com a mulher aos berros a fazer queixas do rapaz, as coisas descontrolaram-se e o homem não esteve com meias medidas: entrou de supetão no quarto do puto e pregou-lhe uma cabeçada, mesmo no meio da testa, que o deixou meio zonzo.
Recomposto, apesar de vacilar ligeiramente, o jovem replicou pronta e eficazmente com um "uppercut", com salto mortal à retaguarda, e rematando com um excelente pontapé lateral, com a parte externa do pé, que pôs o paizinho a ver estrelas, planetas e cometas, não obstante estar uma noite de nevoeiro cerrado.
Sacana do fedelho, desde que trocara a catequese pelo "kickboxing", até parecia que se sentia mais desinibido!

- Quando tocou a campainha, os amantes, bestialmente frustrados por via do coito interrompido (não confundir com o método anticoncepcional do coito interrompido), mas também dominados pelo terror, estremeceram sob os lençóis: 

«Meu Deus, Pedro, quem será a esta hora!? Ai, Pedro que desgraça a nossa!» - Exclamou ela que até era casada com Pedro. 
A tradição anedótica faz-nos tirar ilações precipitadas. Penso que é um defeito cultural. Se não for, olhem, que se lixe!

- E eis-me regressado a uma coisa de que gosto muito: a "criatividade literária". Este é o meu segundo blogue. O anterior "jaz morto e arrefece". Espero que desfrutem, senão, olhem, "desculpem qualquer coisinha!"

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D