Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


OS TRÊS EFES

por João Castro e Brito, em 04.06.23

fado, futebol e fátima.jpg

Olho para a varanda do último andar de um prédio em frente a este onde moro e tento escrutar o que motiva um gajo a limpar os sapatos com um spray e uma escova. Curiosamente, fá-lo com regularidade e até com alguma etiqueta. Não constato o acto porque me dê alguma espécie de prazer em bisbilhotar coisas que as pessoas fazem nas suas casas, mas porque lá calha presenciar, involuntariamente, a tarefa do vizinho da frente. Penso que tem a ver com o facto de demorar uma eternidade a deixar os sapatos num brinco. Simultaneamente, enquanto lhe observo os gestos rotineiros da operação, através da cortina indiscreta, chega-me o eco proveniente da TV, ali na sala ao lado – não importa distinguir o canal, pois estão todos sintonizados nos enredos do momento, os quais se vêm arrastando monotonamente há algum tempo desde o caso da tal indemnização milionária à Alexandra Reis. E quando não se rebate o enésimo episódio desta novela, rebatem-se outros como o da novela João Galamba e a Comissão de Inquérito da TAP ou as supostas habilidades do senhor Costa em desviar-se das questões que lhe são colocadas acerca da intervenção do SIS no caso do Ministério das Infraestruturas, et cetera. Quando não são estes, são os relatos recorrentes e exaustivos sobre a pedofilia clerical ou os assédios sexuais e morais dos "setores" aos alunos e alunas do ensino superior.
E ainda sobram as doses generosas de Fátima e futebol. Daqui, excluo o fado porque, entretanto, o fado regenerou-se, eu amo o fado, amo a saudade e o fado deixou de pertencer a essa trilogia tão famigerada, frequentemente referida como os três pilares da ditadura fascista para a pacificação e alienação das massas.
Tirando o aparte da minha paixão pelo fado, acho que este meu Portugalzinho não está, mentalmente, muito distante do de há meio século.
E continuamos com os peditórios para a Caritas, para o Banco Alimentar e demais instituições de solidariedade social.
As filas para a "sopa do Sidónio" também engrossaram. E a Banca, meus senhores?!... Diz-se à boca cheia que tem tido lucros fabulosos, o que, tudo junto, dá um bom caldinho!
Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes...

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D