Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


DIÁLOGO ENFADONHO

por João Brito, em 21.03.20

diálogos enfadonhos.jpeg

Ela tirou o roupão, compôs o cabelo louro oxigenado e fez o possível por não perder as estribeiras: «Você tem esse jeitinho peculiar de me estragar o dia quando acordo bem disposta. As coisas que você ignora ao nível do equilíbrio psico-somático..., meu Deus que raiva!»
«Espere aí! - interrompeu-a - Se vai começar a falar difícil, ponha os óculos de ver ao perto, pois dão-lhe um ar mais intelectual!»
«Depois é isto: você não sabe, não se interessa por saber, e ainda se regozija com a própria ignorância. Diga-me uma coisa, se souber, claro: você completou o ensino básico?»
«Sim senhora! E deixe que lhe diga que o concluí com distinção sem precisar de um empurrãozinho da Lusófona! Ou você pensa que eu sou como o Relvas?»
«Com distinção?! Não agrida a minha inteligência, por favor! - e entre dentes - A mamã bem me avisou...»
«Deixe lá que você, em contrapartida, é como o Jacinto que bebe do branco e do tinto!»
Ela pôs um pouco de batom nos lábios finos para os fazer sobressair da alvura do rosto:
«Você é tão irritante, credo! Mas mudemos de assunto senão isto azeda ainda mais. O que me está a preocupar é não conseguir encontrar aquele alfinete lindo que o meu primo Nando me trouxe do Qatar. Nada comparável com a porcaria da fancaria que você me costuma comprar!»
«Já cá faltava esse pinga-amor! E você ainda tem o desplante de contribuir para que isto fique mais azedo! Então foi o gajo que lhe ofereceu aquele broche ordinário, eu sempre o soube, a despeito dos seus segredinhos parvos! Não sei para quê?»
«Gajo, não! - empertigou-se ela - Ele é um senhor e, ainda por cima, é piloto da TAP!»
«E o facto de ser piloto da TAP tem uma grande relevância para a nossa conversa, deixe estar! Aliás, agora que a TAP está nas lonas, diga ao Nandinho para se mudar para a Qatar Airways e deixe-se por lá ficar que faz cá tanta falta como uma viola num enterro!
Ela impacientou-se:
«Olhe, isso é dor de cotovelo, sabe? Não pode negar que o Nando é uma pessoa cultivada e até sabe umas máximas muito giras em latim. Você sabe algumas?... Não! Só se lembra de anedotas porcas que ouve contar naquela leitaria horrível, na terra onde mora. Como é que se chama?... Buraca, que horror, aquilo nem vem no mapa!»
Ele abriu a boca com uma expressão que deixava antever uma resposta rápida, sem evasivas:
«Pois sei!» - E citou com um sorriso rasgado: «o fado é que induca e o vinho é que instrói, tome lá e vá-se curar!»
In Diálogos Enfadonhos de Joaquim Pereira da Silva Reboredo

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D