Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


AUMENTOS EXTRAORDINÁRIOS E OUTRAS REGALIAS

por João Castro e Brito, em 01.08.14

cavaco mendigo.jpg

Os deputados do Cagaristão decidiram, por maioria significativa, conceder a todo o povo cagaristanês aumentos extraordinários e outras regalias, designadamente, entre demais elevados estipêndios, pensões-completas, vitalícias, em todas as unidades hoteleiras de cinco estrelas do país, subsídios de desemprego para pessoas empregadas e subsídios de férias para pessoas desempregadas. No entanto, os deputados que votaram este magnânimo projecto fazem questão de não serem englobados nestas medidas de aumento bestial da qualidade de vida dos seus concidadãos.
"A nossa sublime missão é trabalhar para o bem-estar comum, conforme vem consignado na Constituição da República e não, exclusivamente, para nós, como tem sido até aqui. Por isso e por obrigação moral, entendemos não dever beneficiar das benesses, agora, prodigalizadas a toda a população" – declarou um dos autores da proposta aprovada por larga maioria na Assembleia da República do Cagaristão.
Ao tomar conhecimento, através dos média, da decisão dos deputados daquela nação, o povo não ficou contente e tratou de organizar grandes manifestações com a exigência de que os deputados também fossem abrangidos pela concessão de aumentos extraordinários e outras regalias.
"Para deputado igual, salário igual" – lia-se em alguns cartazes.
O Presidente da República do Cagaristão não deixou de manifestar o seu desagrado com a atitude dos deputados, lembrando que está escrito na Constituição que "todos os cagaristaneses são iguais perante a lei. Por conseguinte, têm os mesmos direitos, deveres, liberdades e garantias. Portanto, não faz sentido – ainda segundo as palavras do mais alto magistrado daquela nação – que os deputados insistam em continuar na miséria enquanto o nível de vida do povo sobe a olhos vistos!"
Também, outros sectores mais à direita do espectro político, se mostraram dispostos a colocar objecções. Um dos seus representantes parlamentares teria, mesmo, considerado excessivas, as novas regalias concedidas a todo o povo cagaristanês, em contraste com o agravamento das condições de vida dos deputados.
"Respeitamos, naturalmente, o seu desejo de austeridade – disse – mas não é justo que recusem o passe-social e o tíquete de restaurante, prontos!
Sendo a situação económica actual do país, de grande desafogo, entendemos que todos devem beneficiar, inclusive nós."
"Só por cima dos nossos cadáveres! – disse um dos subscritores da inédita medida social, enquanto outro complementava:
"A nossa política é simples: pãozinho para o povo e migalhas para nós!"
Nos últimos dias, alguns deputados mais sensíveis à indignação popular, admitiram a hipótese de poderem vir a usufruir de alguns dos aumentos e regalias concedidos, mas sublinham que não se deve ultrapassar a fasquia dos cinquenta e cinco vírgula cinco por cento, salientando que, mesmo assim, já é um valor muito superior à inflação.
Em contrapartida, os deputados autores da medida exigiram para si novas medidas de austeridade, insistindo em pagar todos os bens de consumo, de capital e demais bens a preços exageradamente altos.
Entretanto, o povo cagaristanês não se conforma com a excessiva pobreza em que vegeta a sua classe política e um seu porta-voz criticou a austeridade do Parlamento nos seguintes termos:
"O que os deputados do Cagaristão querem fazer, é uma verdadeira greve de fome, mas o povo jamais alimentará esta obsessão altruísta! Assim, vamos para a rua marchar a toque de caixa e corneta, vão ver!"
Nota de autor: assim Portugal tivesse políticos desta dimensão tão humana!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D